Dezembro 08 2010

BOLETÍM CULTURAL

CATINA MUNDI

Boletim de letras, ideias, diálogos e crítica

Casa México- Aljuriça (Portugal)

Casa de Mexico, casa de la cultura, donde los libros son la verdadera Universidad.

(O primeiro Boletim electrónico publicado na Freguesia de Cadima para o Mundo)

 

 

…Para las niñas y  niños de Portugal, México, Costa Rica,  Hispanoamérica e America Portugueza es esta publicación mensual…

* As quadras humaníssimas do poeta Aleixo abrem as páginas deste boletim

* Porque o mundo me empurrou/ Caí na lama, e então/ Tomei-lhe a cor, mas não sou/ A lama que muitos são.                       ( António Aleixo)

“ Há tantos burros mandando/ Em  homens de inteligência/ Que as vezes fico pensando/ Que a burrice e uma ciência “    ( Antonio Aleixo )

Arre burro, arre burro, arre burro           ( Onde há sofrimento, há terreno sagrado.---Oscar Wilde )

“ Ao refugiar-me nos livros aprendi a fugir do mal sem o experimentar”

Camilo C. Branco

*“Procurando o bem para os nossos semelhantes encontramos o nosso”

Platão

 

 

PUBLICAÇÃO  MENSAL, em  PORTUGUÊS e CASTELHANO, QUE TEM  COMO  OBJECTIVO A PUBLICAÇÃO DE TRADUÇÕES DE TEXTOS DE AUTORES  PORTUGUESES, CASTELHANOS E LATINO-AMERICANOS, RESENHAS DE PUBLICAÇÕES RECENTES  E PASSADAS E NOTÍCIAS SOBRE EVENTOS CULTURAIS D’AQUÉM E D’ALÉM MAR. (GANDRASMEXICOCOSTARICA.BLOGS.SAPO.PT)

Presentación

Boletín de periocidad mensual  aparece en septiembre de 2009  como fruto del amor por las letras luso-mexicanas. El objectivo esencial de Casa  México  es coadyuvar  en la promoción y en la difusión de las literaturas clásica y contemporânea.  Dicha publicación llegara a los cuatro rincones del mundo via air mail e  InterNet

 

 

 

Catina Mundi deseja Feliz Natal e Prospero Ano Novo---  Felices Pascuas --- Feliz Navidad- -- Joeux Noel , Bonne Nouvelle Année --- Merry Christmas, Happy New Year --- Auguri de Buon Natale *** Felices Fiestas Navidenas para los pueblos de Mexico y de Iberoamerica

 

 

Catina Mundi recorda Matilde Rosa Araújo, a escritora que revestiu as páginas dos seus livros com perfume de rosas silvestres para as crianças dos quatro cantos do mundo.(1921-2010 )

Nunca e tarde para prestar homenagem a quatro ilustres  e talentosas figuras do nosso Pais  que deixaram marcas no Mexico. São elas: Joao RodriguesCabrilho ou Juan Rodriguez Cabrillo, Beatriz Costa, Fidelino de Souza Figueiredo e Joaquim de Carvalho Montezuma

 

Editorial

SACRIFICIOS HUMANOS

( Nos tempos antigos, os sacrifícios humanos eram oferecidos ao deus Sol e   `a  diosa Lua; hoje, ao deus dinheiro e `a diosa droga )

Os primeiros sacrificios humanos datam dos tempos de Nabucodonosor, e logo seguiram caminho para o Coliseu de Roma. Do outro lado do Atlantico , os toltecas,  os astecas, os maias e os incas praticavam sacrifícios humanos com crianças e moçoilas virgens. Neste nosso século XXI, as  diabólicas matanças que estão acontecendo diariamente no Mexico,  Brasil, Honduras, Guatemala, Colombia e Peru, são verdadeiros sacrifícios humanos em massa, oferecidos, freneticamente, ao deus dom dinheiro e `a diosa dona cocaína. Estes dois novos deuses encaixam perfeitamente com a nossa era, a era do tenho, logo existo. Não tenho, não existo… O Ser e, nos dias que correm, palavra sem valor algum.

Que ira passar no futuro das novas gerações? Alvin Toffler, economistas norte-americano, da-nos algumas dicas na suas obras literárias “ O Choque do Futuro” “ A Terceira Vaga”.

Podemos imaginar os museus do Prado e do Louvre onde, em vez de estatuas, ânforas, colecçoes de arte espanhola, francesa e italiana, haverá pasta de maconha, de coca, de haxixe, de nopale ao lado de ossadas humanas, como forma de vida do nosso tempo. Os verdadeiros valores da vida estão em perigo.

Os grandes campos de trigo, de tremoço, de girassol, de milho e de arroz deram lugar a novos cultivos de plantas tóxicas que contem alcalóides durmintes e mortíferos. Do Novo Mundo já não chegam aos portos de Lisboa, Figueira da Foz,  Cadiz  e  Veneza galeões carregados de ouro e prata. Chegam, sim, barcos cargueiros e iates de turismo recheados de heroína e cocaína. Os tempos mudaram. Os materiais também… Com este cenário destruidor pela nossa frente, vemos como as sociedades ditas civilizadas se avizinham mais da destruição. O mistério da vida fica de lado para dar lugar a impunidade e ao mecenato de carteis que semeiam morte e medo. Ser leal, culto, impoluto, incorruptível, são virtudes desusadas e desajustadas ao tempo presente. Coisas da desregulamentação de valores e princípios éticos e morais.

Sabemos que o mundo de hoje não e o mesmo de ontem. E acompanhar a evolução não e coisa fácil para muitas camadas da sociedade. Contudo, devemos ir-nos acostumando a esta nova forma de vida humana na Terra? Ainda que haja indicativos do começo do fim do mundo da alegoria apocaliptica!.

(*)  Alvin Toffler, escritor futurista norte-americano, doutorado em Leis, Ciencia e Letras, e reconhecido no mundo inteiro pelos seus escritos sobre a Revoluçao digital e o futuro da Humanidade. Algumas obras suas estão já traduzidas na língua de Camoes.

 

BOAS FESTAS GANDAREZAS de umas fervenças singulares

 

Nos anos 50, o cónego-botanico   Povoa  dos Reis  passou  vários meses junto  das nascentes das Fervenças para  estudar  uma variedade de algas de agua doce, a BATRACHOSPERMUM  ROTH, muito abundante  por essa altura. Com a criação do Parque  de  lazer e da praia fluvial no ano de 2002, houve varias transformações de ordem material, dando origem  `a quase total  desaparição desta  espécie de plantas.

Não sabemos se já foi feito um estudo detalhado da qualidade da agua subterrânea na zona envolvente da central de captação? Porem, temos por certo que a qualidade da agua subterrânea não sera, hoje, igual  `a dos anos 50. A agricultura e a pecuária tem contribuído para a degradação  dos solos arenosos. Ha que ter  em mente que os lençóis subterrâneos arenosos são bastante sensíveis a todo o género de produtos fitossanitários e  agrotoxicos.  Ao lado das nascentes passa uma vala que acumula todo o tipo de lixo, lixo que contribue eficazmente para a degradação da qualidade da agua  subterrânea .

Se as populações da Gandara e da Bairrada querem continuar a beber  agua pura da Fervenças , teremos, todos, que preservar as nascentes. E a melhor solução para proteger  os olhos de agua da Fervença e recompor a vegetação nativa em seu entorno, que tem sido maltratada  por milhares de  banhitas e visitantes.

 

 

Mensagens milagrosas da agua

 

 

 

COMO A ÁGUA REFLETE A NOSSA CONSCIÊNCIA

A água tem uma mensagem importante para nós. A água nos está dizendo para olhar mais profundamente para nós mesmos. Quando nos vemos através do espelho da água, a mensagem se torna surpreendentemente clara. Sabemos que a vida humana está conectada diretamente com a qualidade da nossa água, tanto dentro quanto ao redor de nós.

Estas fotografias e informações refletem o trabalho de Masaru Emoto, um pesquisador japonês. Ele publicou um livro importante, “A mensagem da água”, baseado em seus achados nas pesquisas que fez em todo o mundo. Se você tiver alguma dúvida de que seus pensamentos afetam tudo em você e ao seu redor, as informações e fotografias aqui apresentadas, tiradas do livro, mudarão a sua mente e alterarão profundamente suas crenças.

Com o trabalho de Emoto, temos evidências factuais de que a energia humana vibracional, os pensamentos, as palavras, as idéias e a música afetam a estrutura molecular da água, a mesma água que compõe 70% do corpo humano maturo e cobre a mesma porcentagem do nosso planeta. A água é a fonte de toda a vida neste planeta e sua qualidade e integridade são vitalmente importantes para todas as formas de vida. O corpo é semelhante a uma esponja e é composto de trilhões de células que contém líquidos. A qualidade de nossa vida está diretamente ligada à qualidade da nossa água.

A água é uma substância muito maleável. Sua forma física se adapta facilmente a qualquer ambiente. Mas sua aparência física não é a única coisa que muda: sua forma molecular também se altera. A energia ou as vibrações do meio ambiente mudarão a forma molecular da água. Neste sentido, não somente a água tem a capacidade de refletir visualmente o meio ambiente, mas ela reflete este meio ambiente também a nível molecular.

  • Emoto Masaru ( cientista oriundo do Japao )

 

EIROL: EVOCAÇÃO DO CÓNEGO PÓVOA NO CENTENÁRIO DO NASCIMENTO

O ciclo de comemorações evocativas do centenário do nascimento do Cónego Manuel Póvoa dos Reis decorrem de 20 de Outubro de 2007 a 20 de Outubro de 2008.
O Cónego Póvoa dos Reis foi figura ímpar de freguesia de Eirol, distinguindo-se, ao longo da sua vida, no campo da ciência e da investigação.


Foi o Cónego Póvoa dos Reis um dos que marcou muito positivamente a maioria – se não a totalidade - dos alunos que frequentou o Seminário de Coimbra. Na sua humildade, embora detentor da dignidade de cónego e de uma ilustre carreira científica, preferia que os seus rapazes o tratassem por padre Póvoa.
Nascido em Eirol, em 20 de Outubro de 1907 – aproxima-se o centenário do seu nascimento! - trabalhou com a família, no campo, onde ganhou gosto pela natureza vegetal e aprendeu a conhecer as mais diferentes ervas que encontrava.
Segundo se encontra escrito, teve um percurso vocacional tardio, pois só entrou no Seminário de Coimbra no ano lectivo de 1930/31, com 23 anos, depois de muitas dúvidas e crises de Fé. Foi ordenado presbítero em 1936 e nomeado cónego em 1957.
Foi um douto homem, autodidacta em Ciências Naturais, distinguindo-se na Botânica pela descoberta e classificação de várias espécies de plantas. Por isso, em 1943, foi nomeado membro da Sociedade Broteriana e, em 1956, assistente extraordinário da Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra. Pelo seu elevado mérito científico, em 1979, é nomeado membro da Academia de Ciências de Nova Iorque.
Nos espaços do Seminário ou a caminho do Instituto Botânico, para as suas aulas universitárias, era vê-lo atarefado de um lado para outro, no vaivém da sua pesquisa ou trabalho científico, encafuado na sua batina preta que protegia dos percalços dos trabalhos com uma bata de zuarte.
Era seu bordão para os espigadotes seminaristas respingões, entrados nas abstractas deduções filosóficas, o seu marcante “ Ó rapaz, ó rapaz!... Pés na terra, pés na terra!”
Esta sua máxima vai tentar pô-la em prática mediante a criação do IDESO (Instituto D. Ernesto Sena de Oliveira, então, Arcebispo de Coimbra) procurando contribuir, assim, para formação humana e cristã dos seus seminaristas e universitários que com ele se cruzavam no dia-a- dia e cujos problemas ele bem conhecia, pois estava-se na inovadoramente contestária década de sessenta.
Ele tinha sido essa lufada de ar fresco do Concílio, sacudindo as poeiras acumuladas durante séculos nas janelas do Vaticano - e que agora teimam em regressar – abrindo a Igreja ao mundo e ao reconhecimento da dignidade de toda e cada pessoa humana; ele era a contestação dos velhos métodos de ensino nas Universidades; era a Guerra Colonial, com todos os problemas humanos, psicológicos e morais que acarretava; era o início da era da globalização, etc..
Pois, Póvoa dos Reis vai dispor de parte do seu património familiar, em Eirol, para aí se construir uma casa de acolhimento a estudantes, sem olhar a crenças, sexos e nacionalidades. Seria o que quase se podia chamar um centro ecuménico em acção ou algo de parecido com a Comunidade de Taizé, então não tanto na berra como hoje.
A juventude que voluntariamente lá ia passar as suas férias começou por ter o trabalho de iniciar a construção da obra, fazendo os serviços de trolha e pedreiro, durante algumas horas do dia, confeccionando a sua comida, e dispondo de tempos de encontro e reflexão sobre os problemas que se abatiam sobre o mundo e a juventude.
Muitos dos que por lá passaram recordarão desses tempos as melhores impressões.
A este bom homem ficaram, ainda, a dever o Seminário e os seus alunos a partir dos anos 40 do século passado o incremento do gosto científico baseado em métodos de experimentação e análise.
Por sua iniciativa e trabalho, foram criados, no corredor de acesso ao refeitório do Seminário, a ´Sala dos Bichos` - espécie de pequeno Museu Zoológico e Mineral -, o Laboratório de Química e o Laboratório de Física.
Não sendo eu pessoalmente dotado para estes ramos do saber, recordo o esforço que tinha de fazer, olhando pela objectiva do microscópio, para descortinar o que quer que fosse, embora com o máximo de ampliação que o instrumento permitia. Enfim, a classificação de nabo não ficaria nada mal. Mas não era só a mim; outros sentiam as mesmas dificuldades, mas por culpa nossa, que não do professor.
No exame das referidas disciplinas, as voltas que se tinham de dar ao ´catrapázio` que nos fornecia para, a partir dos elementos observados e seguindo percursos remissivos, se chegar à classificação da planta ou do calhau que nos coubera em sorte. Se não fosse tantas vezes o circulante espírito-santo-de-orelha de alguém mais entendido no assunto que nos dizia o nome da planta ou pedra que tínhamos à nossa frente, o caso ficava pardo. Recordo-me que a mim alguém me bichanou o nome de arroz-dos-telhados. E então sim, foi possível fazer o percurso pretendido, mas ao invés, o que era muito mais fácil. E lá me consegui ´safar`, embora o professor, por norma, avaliasse os alunos mais pelo esforço dispendido do que pelos resultados obtidos.
Dos laboratórios contam-se duas histórias engraçadas, uma veridíca e outra, ´si non vera est fama`, por lá andará perto.
A primeira passou-se no Laboratório de Química, onde o apaixonado pelas ciências e seguidor das pegadas do Pe Póvoa, João Simão, que depois veio a ser Professor Catedrático, procedeu na presença dos alunos à experiência da electrólise da água, recolhendo o oxigénio e o hidrogénio dela resultante, nos respectivos balões. Ora, quando quis comprovar os resultados obtidos, esquecendo não sei que pormenor, chegou o fogo ao balão do hidrogénio que explodiu quase uma bomba, atordoando todo o Seminário que, pressuroso, acorreu ao local. Felizmente, foi mais a fumarada, o barulho, o susto e a inolvidável história resultante do que as consequências de danos corporais. Mas ficou bem provado que a água é H2 O, lição que os alunos nunca mais esqueceram.

 

Wikileaks poderá ser um dos sete selos apocalípticos?

 

*Affaire Face Oculta

 

O sucateiro que se encontra em prisão preventiva, requere a nulidade das escutas telefónicas e da prisão, alegando haver incompetência territorial dos juízes que intervieram no processo Face Oculta. O homem das sucatas ate tem direito a passar um  Natal a la française na sua santa terrinha. Este senhor sucateiro parece conhecer de leis! E como tal… os juízes que levam o affaire estão sendo apalhaçados de IDIOTAS. Sera assim? Parece que sim, porque a justiça portugueza  ate

e mais ordinária que a mexicana. Portugal e o paraíso dos vilões e dos libertinos. Viva a republica!

 


 

O que esta a destruir lentamente as sociedades latinas são as drogas, os jogos de azar, a luxúria, e a ignorância,  a avareza, a inveja ,  o egoísmo e o compadrio.  A revista Sabado de 23 de Novembro publicava as estorias de juízes, actores, jogadores, apresentadores de televisão que contratam acompanhantes de luxo pela Internet  para as “ orgias sexuais “.

A humanidade esta a caminhar  para o juízo final. Olhai os sinais dos tempos. Olhai!

 

 

* Arre Burro

 

" Quem a Coimbra burro vai, de Coimbra burro bem, porque Coimbra nao da nem tira saber a ninguem".

 

Beatriz Costa

publicado por luiscatina às 19:14

mais sobre mim
Dezembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


pesquisar
 
blogs SAPO