Julho 09 2011

BOLETÍM CULTURAL

 CATINA MUNDI



  Boletim de letras, ideias, diálogos e crítica

  Casa México- Aljuriça (Portugal)

   Casa de Mexico, casa de la cultura, donde los libros son la verdadera Universidad.

  (O primeiro Boletim electrónico publicado na Freguesia de Cadima para o Mundo)

 

 

             

…Para las niñas y  niños de Portugal, México, Costa Rica,  Hispanoamérica e America Portugueza es esta publicación mensual…

 

* Porque o mundo me empurrou/ Caí na lama, e então/ Tomei-lhe a cor, mas não sou/ A lama que muitos são.                       ( António Aleixo)

“ Há tantos burros mandando/ Em  homens de inteligência/ Que as vezes fico pensando/ Que a burrice e uma ciência “    ( Antonio Aleixo )

Arre burro, arre burro, arre burro…………….  ( B. Costa )

“ Ao refugiar-me nos livros aprendi a fugir do mal sem o experimentar”

                                                                              Camilo C. Branco

*“Procurando o bem para os nossos semelhantes encontramos o nosso”

                                                                               Platão

 "A leitura para mim sempre foi uma fonte de prazer, e gostaria que isso fosse uma coisa generalizada."      "Um país se faz com homens e com livros"

Monteiro Lobato

                           

PUBLICAÇÃO  MENSAL, em  PORTUGUÊS e CASTELHANO,  QUE TEM  COMO  OBJECTIVO A PUBLICAÇÃO DE TRADUÇÕES DE TEXTOS DE AUTORES  PORTUGUESES, CASTELHANOS E LATINO-AMERICANOS, RESENHAS DE PUBLICAÇÕES RECENTES  E PASSADAS E NOTÍCIAS SOBRE EVENTOS CULTURAIS D’AQUÉM E D’ALÉM MAR.  (GANDRASMEXICOCOSTARICA.BLOGS.SAPO.PT)

Presentación

Boletín de periocidad mensual  aparece en septiembre de 2009  como fruto del amor por las letras luso-mexicanas. El objectivo esencial de Casa  México  es coadyuvar  en la promoción y en la difusión de las literaturas clásica y contemporânea.  Dicha publicación llega a los cuatro rincones del mundo  por InterNet.

 

 

 

 

Catina Mundi recorda Matilde Rosa Araújo, a escritora que revestiu as páginas dos seus livros com perfume de rosas silvestres para as crianças dos quatro cantos do mundo.(1921-2010 )

Nunca e tarde para prestar homenagem  a quatro ilustres  e talentosas figuras do nosso Pais  que deixaram marcas no Mexico.  São elas: Joao RodriguesCabrilho ou Juan Rodriguez  Cabrillo, Beatriz Costa, Fidelino de Souza Figueiredo e Joaquim de Carvalho Montezuma.

Casa México convida-o, leitor a visitar Cadima ( antiga Catina romana) através das fotos que colocámos nesta página e que  constituem o reconhecimento da importância da actual  Cadima e da sua história.

Caminho dos moleiros—percurso pedestre com inicio em  Aljuriça  porlongando-se por atalhos de natureza silvestre até  às Fervenças.

 

Editorial

 

 

 Recoridos culturais

 

 

QUINTAS AGRÍCOLAS E CASAS SENHORIAIS GANDAREZAS NAS REDONDEZAS DE CADIMA

 


 

As casas senhoriais  construídas em quintas agrícolas nas redondezas de Cadima ( antiga Catina romana ) são modestas, de arquitectura simples, isentas de fina ornamentação de cantaria; em nada parecidas às casas senhoriais existentes em Lamego e Ponte de Lima.

Estas vivendas nobres ,de gente acomodada, eram  geralmente conhecidas  por casa do senhor doutor, do senhor engenheiro, do senhor arquitecto, do brasileiro: ricos-homens  que viviam uma vida modesta, e alguns até trabalhavam nas suas quintas ao lado dos seus serviçais.

São pouquíssimas as casas senhoriais que apresentam  algum enriquecimento da decoração envolvente de portas e janelas de cantaria  e de frontões para exibir o brasão na fachada da casa como elemento decorativo para dar um ar de dignidade e prestígio à Família proprietária. Nas redondezas de Cadima existem apenas três casas brasonadas!

Estas casas dispõem, todas, de amplas cozinhas e salas de estar, salas que serviam para jantaradas, tertúlias, festas  e bailes, e os quartos de dormir, de área reduzida , onde só cabe a cama e o guarda –fatos, não têm casa de banho.

A partir dos anos 60, com a emigração clandestina para a França, as grandes quintas sentiram a falta de braços para as amanhar e fazer produzir. Algumas  casas senhoriais  viriam a ser demolidas  pela nova onda de progresso selvagem, para darem  lugar a novas casas dos operários emigrantes  que desfiguraram toda a nossa arquitectura rural tradicional.

Recordo que estas casas cheias de estótrias, foram o berço  onde nasceram, se criaram e educaram os meninos dos senhores fulanos tais, alguns meninos são hoje grandes figuras deste nosso reino falido. Seria bom lembrar que muitas famílias antigas prestaram dignamente  no tempo da outra Senhora  assistência social e educacional  aos seus trabalhadores  e população vizinha. Uns foram padres, outros funcionários das Finanças e empregados de escritório.

Antes de terminar, resta somente dizer que a casa da Quinta de Santo Amaro fora Casa do Mosteiro dos  padres Crúzios do Mosteiro de Santa Cruz, e no século XX passou a ser residência da Família Carneiro. Actualmente é residência de uma determinada Família nobre espanhola, que tem a quinta de cara lavadinha... E viva Espanha!

 

 

 

 


 

 *Casa do senhor Faim( ano de const. 1867 ) Aljuriça

 

 

 

 *   Casa do Dr. Aristides Salvador, Quinta da Corga-Cadima. Construida a inicios do século XX.

 

 

 

 * Casa brasonada da Quinta de Santo Amaro; Quintã-Cadima

 

 

* Casa do Arquitecto Amoroso Lopes. Quintã- Cadima

 

 

*  Casa do Juíz, Pontes de Cadima. Construida em 1860.

 

 

* Casa da Quinta do Silval. Cadima

 

 

* Casa do senhor Taipina. Nogueiras- Cadima

 

 

* Casa brasonada onde vivera o senhor Arménio Serrano. Guímera-Cadima.

 

 

*    Casa do Dr. José António de Oliveira. Aljuriça-Cadima.

 

 

 

* Casa da D. Misinha Vilares. Aljuriça-Cadima.

 

 

 

 

* Leituras Escolhidas, Editora Costa Rica.

 

 

 * In O Independente de Cantanhede

 

 

 

 * Villa Vicaya em Miami- Florida

 

 

 

 * Cópias: Carta da Primeira Dama da Casa Presidencial de Puerto Rico, e cartão real de Dom Duarte.

 

 

 

 

*  Cartão de Boas-Festas da Casa Imperial Láscaris Comneno

 

 

 

 * Artigo publicado na revista brasileira Raízes Lusíadas ( Janeiro de 1999 ). Na verdade, Plínio o velho nunca pisou terras gandarezas.

    E Campo Catinense não tem nada que ver com com Catina romana. É mais lógico que algum  nobre siciliano romanizado, originário da cidade de  Catânia,  tenha viajado até aqui e tenha fundado Catina em homenagem à sua histórica cidade. São apenas suposições.

 

publicado por luiscatina às 18:09

mais sobre mim
Julho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


pesquisar
 
blogs SAPO